Historia de Marrocos

 

Muitas vezes é dito que Marrocos é um país árabe, o que não é totalmente correcto. Na verdade, a maioria da população é berbere.

Os berberes são a marca mais antiga desta nação e prova viva dos povos que sempre aqui estiveram estabelecidos. É por isso uma nação de árabes e berberes.

Actualmente ainda existem muitos descendentes do povo berbere, considerado como o mais antigo em território marroquino, mas os árabes marroquinos são quase dois terços da população de Marrocos. Por isso, muitos marroquinos dizem ser descendentes de árabes e berberes.

Antes da chegada dos árabes, o território – que de acordo com estudos é habitado desde a Pré-História – recebeu a visita de fenícios, cartagineses, romanos, bárbaros e bizantinos, por exemplo. Só depois chegaram os árabes prontos a islamizar o território. E ao contrário dos restantes invasores, não tiveram tantas dificuldades em se estabelecerem. Actualmente 99% dos marroquinos são berberes muçulmanos.

Foi no ano de 649 que os árabes chegaram ao Magreb, mas só em 681 é que conseguiram entrar em Marrocos, por causa da resistência berbere. Muitas vezes o povo berbere se insurgiu contra o poder árabe em várias lutas, mas a oposição religiosa não era tão forte o que fez com que o Islão entrasse de forma moderada nos hábitos locais.

Ainda assim, são contabilizadas três grandes entradas de árabes no território que é agora Marrocos. A primeira está marcada entre os século VII e VIII, com os conquistadores; depois, no século XII , com os árabes da etnia Beni Hilal, de origem na Arábia; e, nos séculos XII e XIV, com os grupos que foram liderados por aquela mesma etnia.

A história de Marrocos como país nasce com o Islamismo: a criação do Estado e a instituição da língua árabe, como língua da religião e pelo qual foi divulgada o Alcorão. A maior parte dos árabes segue o Islão. Só como curiosidade: existem muitos árabes cristãos nos Estados Unidos, por exemplo.

Se pudéssemos dividir por áreas geográficas, podíamos dizer que a maioria dos árabes marroquinos vivem no norte e oeste do país. Muitos preferiram fixar-se e morarem em regiões mais férteis, junto do mar Mediterrâneo.

A agricultura tornou-se, para muitos, a sua forma de vida e subsistência. Nos locais onde a água é mais abundante produzem cevada, trigo e cereais, ou tomates, batatas, ervilhas e feijões. Nos campos, as árvores de cultivo são oliveiras, laranjas, pêras e pêssegos.

 

O povo berbere – ou também apelidado de Imazighen ou Amazigh – é tido como um dos povos mais antigos do continente africano.

Segundo reza a história, os berberes viviam em tribos no deserto do Saara, em zonas onde agora estão vários países como é o caso da Argélia, Mauritânia e, claro, Marrocos, entre outros da região do Magreb.

Muitos marroquinos são, claramente, descendentes dos berberes. Diz-se que serão cerca de três quartos dos marroquinos descendentes deste povo.

O facto de o povo berbere se ter adaptado ao rigor climático do deserto, e ao andar de camelo, fez com que se tornassem transportadores. Seguiam as caravanas de mercadores e eram comerciantes de quase tudo. Desde pedras preciosas, a peles, tecidos e até às especiarias.